Aprenda a Fazer Vaso de Cimento - Parte 4



Traço de Massa e equipamentos necessários

Como existem vários tipos e modelos de vasos é necessário que existam também diferentes traços de massa para cada tipo de vaso, mas existe um traço de massa que se adapta a maioria dos tipos e modelos de vasos, trata-se de um traço de massa com adição de pouca água, conhecida popularmente como farofa ou farofão.
A quantidade de cimento na massa para produzir vasos será sempre de 1 parte de cimento para cada 2 partes de areia grossa e 1 parte de areia fina, todos bem misturados e coados na peneira para retirar possíveis impurezas. 
A quantidade de água vai variar das condições de umidade em que se encontra a areia, quanto mais seca mais adição de água. A massa para vasos tipo farofa contém pouca adição de água e pode ser misturada tanto em betoneira, quanto em masseira com a utilização de enxada. Para saber o ponto ideal vá adicionando água aos poucos e em pequena quantidade, o teste é simples, pegue um pouco de massa com a mão e aperte, ao abrir a mão a massa deve formar um bolo compacto, mas sem sair excesso de água, ou seja deve estar aparentemente seca mas deve formar este bolo compacto. Se ao apertar a massa com a mão e ao soltar ela esfarelar falta água, adicione mais água, até atingir o ponto exato.
Quanto menos adição de água na massa, mais fácil será fazer o vaso, mas lembre-se de que se faltar água na mistura, seu vaso vai ficar quebradiço e pode esfarelar por falta de resistência. Agora se colocar muita água, será mais difícil de produzir o vaso, por que a massa não ficará tão fácil de manipular, além disso, o vaso não formará o desenho perfeitamente e ficará com mais ranhuras e imperfeições.
Para se produzir um bom vaso é preciso saber o ponto ideal de adição da água. O fato de utilizar uma massa quase seca para produzir vasos, obriga a fazer uma pequena hidratação na peça logo após o desinforme. O procedimento é simples, basta retirar o vaso recém produzido da forma (molde) e colocá-lo num local onde possa ser molhado com a ajuda de uma mangueira (gera desperdício de água) ou regador (mais econômico) e ao mesmo tempo possa receber sol. 
Este procedimento irá garantir um vaso com mais qualidade, então se possível, repita esta operação de molhar o vaso pelo menos umas 2 ou 3 vezes ao dia, se tiver bastante sol e 1 vez se o tempo estiver encoberto. Quanto mais vezes este procedimento for repetido, melhor será o resultado final.
Lembre-se que o tempo de secagem do cimento é de 1 a 2 dias para manuseio da peça, e cerca de 30 dias para secagem total do cimento.
Para se produzir o vaso será necessário o uso de alguns materiais:
Luva de borracha para proteção das mãos, 1 pequeno cabo de madeira que será utilizado para fazer a acomodação da primeira quantidade de massa dentro da forma (molde) e que formará os pés dos vasos.
Também será necessário o uso de um batedor de metal de forma aredondada, conhecida popularmente no ramo como "badainha", esta peça será responsável por acomodar a massa de forma correta nas paredes da forma (molde) do vaso e evitar que você tenha que utilizar as mãos para fazer este procedimento. O uso da badainha deixará o acabamento interior mais profissional e não cansará tanto o funcionário que estará executando o procedimento de levante do vaso dentro da forma (molde). A "badainha" pode ser adquirida pelo e-mail fibratech@outlook.com.

Este post ainda está sendo editado e ficará terminado em pouco tempo, mas qualquer dúvida antes disso, envie um e-mail: fibratech@outlook.com que terei o maior prazer em respondê-lo.




Questões que influenciam na produção de vasos de forma artesanal e ou em larga escala.

1º   Escolha do tipo ou modelo de vaso a ser produzido
2ª   Montagem dos moldes ou formas e aplicação do desmoldante
3º   Local mais adequado para iniciar o trabalho
4º   Traço de Massa e equipamentos necessários
5º   Quantidade de água no traço da massa para cada tipo de vaso
6º   Fazendo o vaso
7º   Tempo para manuseio e secagem completa
8º   Acabamento final do vaso e seus segredos
9º   Como pintar um vaso ornamental de cimento (concreto, Gesso, Cerâmica, Madeira)
10º Como e onde vender sua produção de vasos ornamentais
11º Cuidados no transporte e na entrega do produto
12º Como reparar vasos com pequenos trincos ou quebrados
13º Pequenas dicas para produzir um vaso de qualidade
14º Reaproveitando moldes para fazer dois tipos de vasos diferentes com a mesma forma
15° Por que vasos redondos oferecem mais qualidade de vida para planta
16º Identificando tendência de cores e modelos de vasos
17º Agregando mais valor comercial ao vaso
18º Acessórios para vasos
19º Diferenças entre vasos, taças, arandelas e floreiras
20º Como identificar um bom funcionário para fabricar vasos

1 comentários:

Postar um comentário

 

Multiflora Fernandopolis

Comércio de Vasos ornamentais e acessórios para jardim, decoração de ambientes, estátuas, colunas, plantas e flores. Fabricação, reforma, pintura e restauração de vasos ornamentais em cimento. Grande variedade de produtos e serviços, atendimento familiar, várias opções de pagamento. Atendemos Fernandópolis e cidades próximas.

Multi Vasos Fernandópolis

Indústria e Comércio de Vasos ornamentais em concreto, estátuas, pisadeiras, colunas, fontes, jardineiras, chafarizes, plaquinhas decorativas para parede, floreiras, vasos de parede, bancos, mesas e acessórios para jardim como sapos, cogumelos, onças, bois, jacarés, garças, etc 15 anos de experiência na fabricação de artefatos em cimento e moldes e formas em fibra de vidro - fiberglass.

FibraTech - Fernandópolis SP

Produzimos excelentes moldes e formas em fibra de vidro ou silicone, com qualidade, durabilidade, encaixes perfeitos, melhor preço, melhor custo benefício. Produção totalmente artesanal, rapidez, experiência e qualidade. De Fernandópolis - SP, despachamos para todo o Brasil, via CORREIOS, orçamento personalizado.